Conto: Verdade

Na espera de algo acontecer, começou a ser ouvido o velho samba: “Sonho meu, sonho meu…”. A melodia foi interrompida por um coro: “Deixem eles quietos que podem voltar do túmulo”. Outrem entoou: “Desafinados, nunca foram enterrados, só os sonhos seus”.

Angelyto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *