Poesia: Noite de chuva

Noite fria.
Chuvosa.
Insone.
Fico à janela
a observar a chuva a cair.
A ouvir os barulhos
de uma noite de tempestade.
Os animais encolhidos
a procurar abrigos,
as corujas que sempre me veem
estão escondidas a me bisbilhotar.
Não se atrevem a me olhar.
Só os cachorros ao longe
fazem parte desta noite.
Fecho a janela.
Deito ao som do barulho
da chuva no telhado.
Que de repente me faz dormir.

*Poesia publicada originalmente em minha obra “Intuições”, 2019. Postada também no Instagram da AsM Editora para o projeto #ÀsSegundasLemosPoesias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *