Como crescer em tempos de COVID-19

As pessoas estão encerradas dentro de suas casas, isoladas de um mundo exterior atrativo, dinâmico, encantador, apaixonante e diverso. É assim que vemos agora um mundo que outrora era sombrio, violento e inadequado. Algumas pessoas não estão sabendo conviver consigo mesmas nem usar o tempo disponível que agora têm. Já ouvi muitas delas dizendo que não tinham tempo para ouvir música, para se debruçar em uma boa leitura, bater um papo descontraído com amigos, assistir séries pela internet e tv a cabo. Isso sempre soou como atividade de desocupados.

Em tempos de recessão econômica, como a que estamos atravessando, ainda possuímos a moeda mais valiosa do sistema econômico global: o tempo. No filme ‘Vingadores Ultimato”, Tony Stark tem um vislumbre e, ao retornar para o passado, ele conversa com seu pai, de quem ouve as seguintes palavras de sabedoria: “Nenhuma moeda do mundo compra um segundo de tempo”. Não compra mesmo, mas o tempo compra muitas outras riquezas.

Já que estamos em casa com a maior riqueza do mundo, o tempo, o que podemos comprar com essa moeda tão valiosa sem precisarmos sair do isolamento?

  1. Conhecimento. Em casa, temos a internet e a energia elétrica a nosso favor. Sendo assim, podemos nos conectar e usar o tempo livre para aprender coisas: assistir a aulas, palestras e mensagens de desenvolvimento pessoal e espiritual nos canais do YouTube e do Instagram, entre outros. Dessa forma, usamos nossa moeda para comprar conhecimento.
  2. Saúde emocional. A crise gera oportunidade de investir em autoconhecimento e aprender a lidar com amarguras, estresse e desafeições advindas do trabalho e da convivência com pessoas de todos tipos. Sugiro assistir às aulas grátis do Augusto Cury, disponíveis nas plataformas digitais. Ele criou conceitos como janelas “light” e janelas “killer”, que são portas de acesso às nossas emoções. Também é possível compreender o funcionamento da memória. Nós não perdemos memória, apenas deixamos de acessar as informações devido a bloqueios causados por traumas e outros eventos.
  3. inteligência (sabedoria). Fruto máximo do conhecimento e do equilíbrio adquiridos ao ler ou ouvir pesquisadores e autoridades em determinada matéria, a sabedoria vem com atitudes baseadas no conhecimento que se tem sobre pessoas, situações e coisas. Ela representa a capacidade de tomar as melhores decisões e possibilita amenizar perdas e impactos devastadores em tempos de crise e pós-crise. A maioria das pessoas não saberá o que fazer após essa crise econômica – na verdade, já não estão sabendo o que fazer agora.

A crise é inevitável, assim como nossas decisões durante e depois dela. Quando menciono “a maioria das pessoas”, quero apontar para um número maciço e incalculável de pessoas que ainda não possuem sabedoria, porque não se dispõem a parar (pausar) e pensar em sua própria existência e sentido. Com esse intuito, use seu tempo hoje como uma grande oportunidade de fazer negócios e compre conhecimento, saúde emocional e sabedoria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *