Memória Viva

Um dia eu tava sentado
Quando um menino chegou
E perto de mim sentou
Começamos conversar
E ele a me perguntar
Como foi minha infância
Se eu tinha na lembrança
Coisas que nunca esqueci
Nesta hora foi que vi
A saudade como herança

Perguntei sua idade
Ele falou dezesseis
E me chamo Juarez
Vivo no mundo assustado
Pensando no meu passado
Eu nasci mesmo com sorte
A tristeza foi meu dote
Perdi pai e mãe querida
O que me resta na vida
E saudade até a morte.

*Jorge Calheiros
Nasceu na cidade de Pilar, em Alagoas, no dia 08 de agosto de 1939. Ainda garoto, por volta dos 10 anos, ajudava o seu pai e os três irmãos a catar madeira no meio da mata para fazer carvão, depois vendido no comércio de Pilar. Foi nesta época em que teve o primeiro contato com a literatura de cordel, ao redor de uma fogueira, à noite, onde os meninos se reuniam para assistir, fascinados, contações de histórias. Maiores informações (82) 99697-5463.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *